Pós- Graduação Lato Sensu em Educação Museal

 

Primeira Turma:  outubro de 2014

Duração do curso: 1 (um) ano e 03 (três) meses

Carga Horária Total: 360 (trezentos e sessenta) horas

Dia da Semana: Sábado (manhã e tarde);

Periodicidade: semanal

Horário: 8h às 17h,

 

Objetivo Geral:

O Curso de Pós-Graduação em Educação Museal tem como finalidade formar um profissional ético, com responsabilidade social e cultural.

O egresso do curso estará habilitado a atuar como  educador em museus e instituições culturais, bem como capacitar profissionais da educação de diversos ramos do ensino formal e não formal a usarem o museu como espaço educativo.

Este profissional poderá atuar ainda como pesquisador, que articule teoria e prática, capaz de prever e solucionar questões dentro de seu campo de atuação e que seja capaz de contribuir para uma educação de qualidade, articulada com o contexto social, político, econômico e cultural da sociedade e do mundo.

 

Objetivos Específicos:

  1. Reconhecer o conceito de Formação Integral e sua relação com práticas educativas que se referenciem na formação da identidade cultural promovida por espaços que realizam processos museais.
  2. Identificar o museu como espaço educativo privilegiado.
  3. Identificar os diferentes sujeitos da aprendizagem em espaços culturais.
  4. Desenvolver a aptidão para a aprendizagem contínua.
  5. Promover a integração da escola com espaços culturais educativos como parte essencial do processo de Letramento e formação humana.
  6. Prover profissionais de educação museal de bases pedagógicas para o exercício da prática educativa em museus.

 

 

Público Alvo:  O público-alvo do curso são:

  • profissionais educadores em museus em exercício por, no mínimo, três anos;
  • profissionais dos quadros da FAETEC;
  • graduados em qualquer área do conhecimento que tenham interesse em atuar na área educativa de museus ou em parcerias do ensino formal com museus e instituições que realizam processos museais.

 

Ingresso: Processo seletivo realizado em duas etapas ambas classificatórias e eliminatórias:

avaliação escrita
entrevista

OBS:  Acompanhar os editais no site da Faetec (www.faetec.rj.gov.br).

 

 

Relevância da oferta do curso:

Neste 2º semestre de 2014, o Iserj deu início ao curso de Pós Graduação Lato Sensu em Educação Museal, em parceria com os Museus Castro Maya e o Museu da República.

O curso é o único no país a formar profissionalmente educadores para atuar em museus e instituições culturais.

O ano de 2014 é especial para a área de Educação Museal, pois deverá ser lançada este ano a Política Nacional de Educação Museal (PNEM), elaborada e promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) – órgão ligado ao Ministério da Cultura (MinC) -, juntamente à sociedade civil.

Apesar de quase centenária, a atuação de educadores em museus no Brasil não é regulamentada e as políticas públicas da área já traçam um caminho de meio século em busca de consolidação.

Em 1927, quando surgiu o primeiro setor educativo de museus no país, este tinha como missão auxiliar o desenvolvimento de práticas educativas que colaborassem com o aprendizado escolar. De lá para cá, a educação museal sofreu muitas alterações, desenvolveu-se como campo autônomo, mas ainda carece de questões básicas para o seu desenvolvimento e consolidação como campo de pesquisa e atuação profissional. Um dos grandes desafios da área é a formação profissional dos educadores.

Durante a década de 1980, sob a influência do Movimento Internacional da Nova Museologia, foram feitas duas tentativas de estabelecer cursos de pós graduação Lato sensu em Educação em Museus, uma na Universidade de São Paulo (USP), outra na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), tendo a primeira formado apenas uma turma e a segunda não sendo concluída.

Agora, passadas mais de duas décadas, quando se está prestes a por em prática uma Política Nacional de educação Museal é de suma importância o surgimento de um curso que atenda as demandas históricas destes profissionais e dos museus.

Neste contexto a ação educativa em museus tornou-se o grande elo de comunicação entre acervos e os diferentes públicos e, sendo assim, o papel do educador passa a adquirir cada vez mais importância eficácia nos espaços que promovem processos museais. Este papel promove o conhecimento e práticas de preservação, conservação e tolerância à diversidade cultural existente na sociedade, contribuindo também com uma pedagogia, metodologias e ferramentas específicas do espaço museal na formação humana.

Um curso de especialização em Educação Museal promovido em parceria por uma instituição de educação e uma instituição cultural vem, não só atender à demanda profissional de formação existente na área, como demonstrar o compromisso com uma formação que atenda a sociedade em múltiplos espaços e em diferentes momentos do cotidiano, como os de estudo, trabalho e lazer.

O fato das duas instituições que o propõe serem públicas e já contarem com os recursos necessários para que este tenha início é um grande ponto a favor, pois garante maior democratização do acesso aos candidatos e já surge com uma proposta de excelência voltada a atender as demandas da sociedade.