Graciliano Ramos no Projeto Círculos de Leitura
10/08/2015
Noel Rosa No Tempo do Rádio a Lenha
13/08/2015
Mostrar todos

6º Seminário de Educação Inclusiva do Iserj – alegria e pensamento

No dia 12 de agosto aconteceu o 6º Seminário de Educação Inclusiva do Iserj com o tema: Adaptações e estratégias curriculares para alunos em situação de inclusão na escola regular.

Organizado pela equipe do Espaço de Inclusão do Iserj, o evento foi um sucesso, com a presença de mais de 460 participantes, entre professores, alunos, funcionários e inscritos da comunidade.

A mesa de abertura contou com o Diretor do CAp Iserj Luís Sérgio e com a Coordenadora do Espaço de Inclusão do Iserj Professora Sandra Barbosa, que falou da importância de um evento como este, trazendo sempre novas perspectivas para a Educação Inclusiva e promovendo o encontro e a troca de ideias entre pessoas de várias instituições.

A Professora Clarissa Kauss (APPAI) abriu os trabalhos, com a palestra “Educação Inclusiva: teoria e prática”, na qual falou que a teoria transforma a prática, e que a Educação Inclusiva é uma mudança de paradigma, difícil como toda mudança, mas muito necessária, pois somos todos diferentes, e isso é bom. Entre várias citações fundamentais, comentou a genial frase de Fernando Pessoa: “Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril”.

foto

Depois foi a vez da Doutora Iane Kestelman, psicóloga e presidente da ABDA (Associação Brasileira do Déficit de Atenção), que em sua palestra “Estratégias sobre TDAH para professores” falou sobre o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), explicando o que é essa condição, como ocorre, como deve ser tratada e como a sala de aula pode ajudar nesse caso, afastando pré-conceitos oriundos da desinformação.

A Professora Adjunta da UFRRJ Márcia Denise Pletsch veio falar sobre “Adaptações e Estratégias Curriculares para alunos com deficiência matriculados em classe regular de ensino”, explicando que é por meio da razão e da linguagem que construímos as pontes nas práticas cotidianas, e que cada caso é um caso, que deve ser apreendido na prática, mas sempre com um norteamento teórico. Durante duas horas apresentou muitas propostas e perspectivas novas para os professores utilizarem em sala de aula, e refletirem sobre elas. Um dos conceitos principais que a Professora Márcia Denise Pletsch trabalhou foi o de “compensação”, citando a teoria da Defectologia e os textos de Vygotsky, quando este afirma que “a deficiência de uma função ou lesão de um órgão, faz com que o sistema nervoso central e o aparato psíquico assumam a tarefa de compensar o defeito” (ver PLETSCH, Márcia Denise e BRAUN, Patrícia. A Inclusão de Pessoas com Deficiência Mental: um Processo em Construção. In Democratizar, v . II, nº 02, maio/agosto 2008. Disponível em Clique aqui para ler Democratizar, acesso 12/08/2015. Ver tb VIGOTSKI, L. S. Fundamentos da defectologia. Obras escogidas, vol. V. Madrid: Visos, 1997.).

O brilhante e alegre seminário foi encerrado pela genial produção da Professora Olga Passos, do Ensino Superior do Iserj, e sua turma de quinto período de Pedagogia, que nos mostraram vários recursos, brincadeiras e ferramentas desenvolvidos pela Professora e por sua turma e apresentados na oficina de “Criação e Construção de Recursos de Mediação da Aprendizagem”.

Foi um bonito evento, em que todos os participantes saíram ganhando com novas visões e tecnologias para o nosso cotidiano escolar.